Série “Mulheres que me dão tesão” (1) – Miranda July

por Gustavo Gitti 23 outubro 2007 20 comentários

Estou inaugurando aqui uma série de posts sobre mulheres geniais que manifestam o feminino de maneira inédita. Quando respiramos as energias femininas, elas circulam em nós e nos animam. Ficamos eretos, despertos, presentes.

Se mulher dá tesão, nada melhor do que apresentar aquelas que mais sabem movimentar e fazer girar nossos mundos. Homens e mulheres, deliciem-se!

Para quem leu o título e chegou aqui esperando ver peitos e bunda, indico esse site. ;-)

Miranda July

Miranda July

“We have a whole life to live together you fucker, but it can’t start until you call.”

Miranda é completa: artista performática, escritora, música, cineasta e atriz. Conheci seu trabalho no filme Me and You and Everyone We Know – fui assistir duas vezes em três dias! Ao consultar o Google, encontrei o projeto Learning to Love You More (falei sobre essas atividades neste post). A linguagem da Miranda é muito próxima das minhas visões. Ela apenas anda e eu automaticamente concordo.

Sua arte especializou-se em descondicionar nossos sentidos e abrir semanticamente cada pixel da realidade. Ela nos faz tirar fotos debaixo da cama, escrever sobre nossas cicatrizes, cultivar um jardim em um local inusitado, montar uma exposição com os objetos da nossa casa, fotografar nossos pais se beijando… Sem saber, redescobrimos nossa humanidade e acessamos o prazer natural de estar vivo atuando com cinco sentidos. Ao fantasiar e construir mundos, Miranda July nos ensina que não só podemos como já estamos fazendo isso o tempo todo.

Ela brinca. Dá concretude aos nossos universos sutis (“faça um retrato dos desejos de seu amigo”) e deixa abstrato os objetos mais convencionais (“desenhe uma constelação de pintas”). Ela inverte. Desconstrói o visível e cria realidades em cima do invisível. Ela sonha.

A foto ao lado foi tirada por Joanna Campbell, filha do casal que se beija, Paul and Kathy. É muito provável que ela nunca antes havia visto seus pais dessa maneira. Eles também, talvez estivessem há anos sem experimentar um beijo assim. A lente transformadora não é da Joanna nem da Miranda. Essa lente está sempre disponível. Tudo o que precisamos fazer é demorar um pouco, parar por um instante.

Sabe quando paramos do nada no meio da calçada enquanto todos estão correndo dentro de suas vidas? Essa parada que deslumbra é o início das obras da Miranda e quem sabe seja também o começo de nossa humanidade…

Mais sobre a Miranda July: Wikipedia, Projeto Learning to Love You More, Livro LTLYM, DVD Me and You and Everyone We Know.

Teste: No site oficial da Miranda, há uma senha única para entrar (não é “amor”, nem tentem). Duvido que consigam acertar! Se conseguirem, comentem aqui. Dica: é exatamente isso o que vocês estão pensando.

Blog Widget by LinkWithin

Para transformar nossas relações

Há algum tempo parei de escrever no Não2Não1 e comecei a agir de modo mais coletivo, visando transformações mais efetivas e mais a longo prazo. Para aprofundar nosso desenvolvimento em qualquer âmbito da vida (corpo, mente, relacionamentos, trabalho...), abrimos um espaço que oferece artigos de visão, práticas e treinamentos sugeridos, encontros presenciais e um fórum online com conversas diárias. Você está convidado.



Receba o próximo texto

20 comentários »

  • myla

    éhhh, Gustavo, foi imediato! o site dela é shooowww!!!! vou me demorar mais nele, q merece. valeu pela dica: grazie. :0)

    acho q nós, tanto homens qto mulheres, devíamos brincar muito mais com o feminino. assim evitaríamos o excesso e a falta.

    sobre o primeiro, Deida alerta: “excessive masculine energy leads to abuse of others and the world; excessive feminine energy leads to self abuse.” são os dramas cotidianos tão bem criados pelo feminino, que circulam sempre em torno das nossas relações, sobretudo as amorosas: “será q ele ainda gosta d mim ou não?”; “por que ele ainda não me ligou?”. enfim, sobre coisas já muito bem discutidas aqui no blog por vc. essas cascas fazem parte d qualquer relacionamento, principalmente no início; o perigo é ficar só nelas.

    e sobre a falta do feminino, Deida lembra que “the feminine in all her forms is the ultimate inspiration…” – daí seu tesão e o d todo mundo.

    “the feminine form is incomparable beauty, to man and woman alike. – o excesso disso, bem se sabe: o corpo, a beleza externa vive supervalorizada, encaixada em modelos praticamente inatingíveis pela mulher comum. resultado: o feminino abusando d si mesmo: a maioria das mulheres em regimes, tinturas, tratamentos estéticos, cirúrgicos e sacrifícios mil. maqueiam o externo mas o interno ainda caminha trancado, adormecido, desconsiderado e graaande parte da alegria de ser mulher e da própria vida é o preço pago.

    Deida continua “all of nature is summarized in her body, her moods, her energy… however”, – e aqui entra a parte q importa – “if we don’t understand who she really is, we will only fear and desire her: we will hurt her, negate her, exploit her, run from her. all men and women are either lusting for her or turning from her, in every moment, unless they are at one in love…”

    a gente ainda é muito cru pro feminino. o legal é que essa Miranda aponta jeitos d se brincar com ele e, assim, vai se crescendo.

    p.s.: as citações do Deida ficaram misturadas no meu caderninho mas são de “Blue truth” e “intimate communion”. recomendo o delicioso – esse toda mulher teria que ter um: “it’s a guy thing: an owner’s manual for women” e o seminal “the way of the superior man”. “finding God through sex” e “dear lover”, embora ainda não tenha lido sei q vale muito a pena. fujam apenas de um, que honestamente não vale a pena – ficou muito new age, excelente definição do próprio Gustavo. fujam de “instant enlightenment”. tocou-me pouquíssimo. já os demais são, na minha opinião, o caminho das pedras. se o orçamento estiver apertado, um dos dois primeiros já dão muito bem o recado.

  • Gustavo Gitti (autor)

    Poxa, Myla, valeuzaço pelo comentário!

    “we will hurt her, negate her, exploit her, run from her”

    Não só as mulheres, mas a NATUREZA. Não é isso o que fazemos com o meio ambiente?

    Essas mulheres que dão tesão todas exploram a natureza e as artes, que são o próprio feminino em ação. Tem muita gente boa pra elencar aqui… ;-)

    Abração!!!

  • J@de

    Valeu pela dica, vou futucar tudo… é claro que eu consegui abrir, imagina!!
    Engraçado que de tempos prá cá eu ando meio incomodada porque acho que trago em mim, energia masculina demais…
    Vou continuar a análise!! hehehehe!!
    Beijos!!

  • Marina

    AMEI a frase dela que tá no começo do post!

    PS: Acertei a senha de primeira, obvio demais ;p

  • Diego

    Não descobri a senha certa. Acho que quando acerta, a formatação do site fica certinha, pq se vc olhar no canto inferior esquerdo tem um link trapaceiro e quando entra por ali o site fica formatado certo :P

    De qualquer forma, eu achei outro site dela sobre os livros que eu me rachei de rir > http://noonebelongsheremorethanyou.com/

  • Gustavo Gitti (autor)

    J@DE, você anda dando porrada em homem, é isso? ;-) O lance é saber dançar com essas dinâmicas (ora pendemos ao masculino, ora ao feminino), em vez de sofrer com elas.

    MARINA, a Miranda é foda. Tem várias frases assim no filme. Você acertou a senha? Pois tente outra…

    DIEGO, tem o link sim. Basta arrastar o mouse ou ver no source. Nesse link abre direto em movies, mas é a mesma versão. Não descobriu a senha certa? Como assim??? A formatação é assim mesmo. Depois que você digita a senha certa, aparece assim: “you obviously know what I was talking about”. Genial! hahaha…

    Esse outro site (do livro) é de rachar!!! Entrei ontem também. Só de pensar que ela fez isso mesmo… hhahaha

    Abração!

  • Bia Cardoso

    A Miranda July é mesmo uma delícia! A conheci quando vi o filme “Eu, você e todos nós”. Quantas cenas maravilhosas e tão belas, os diálogos perfeitos. A cena do peixinho sobre o carro, a cena da dança dos sapatinhos em que ela escreve “you me”. Sorte minha que consegui o dvd numa promoção de usados da blockbuster.
    Há muita coisa de Miranda July no youtube, tanto partes do filme, como entrevistas e descobri por lá que ela já esteve em porto alegre. mas ótimo também é esse clip do Blonde Redhead:
    http://www.youtube.com/watch?v=DAUx8-UJ3fE

    Abraços.

  • J@de

    Ah Gustavo não tô coçando saco e brigando na rua não garoto!! hehehehehe!!
    Na verdade eu deixei a mulher em mim um pouco de lado pq preciso ser macho durante muito tempo do dia… é por aí…
    Hoje vou futucar o site… e “comprar” o filme, pq não vi!!
    Beijos!!

  • Everton

    Boa Caro, muito show!

    abraços!

  • 11 canções para amar mais | Não Dois, Não Um: Um blog sobre relacionamentos lúcidos

    [...] título deste post foi inspirado pelo belíssimo projeto da Miranda July (Learning To Love You More), mulher que sabe como poucas explorar humanismo e existencialismo em [...]

  • Ricardo Nogueira

    Impressionante.
    Fui no site dela mais como um desafio do que pra ler de fato.
    Acertei a senha na primeira tentativa.

    Agora me sinto na obrigação de ler tudo

  • Gustavo Gitti (autor)

    Ricardo. Claro que você acertou: QUALQUER PALAVRA vale.

    Abs.

  • Projeto LoveCode001 na Campus Party: descubra quem está apaixonado por você! | Não Dois, Não Um: Um blog sobre relacionamentos lúcidos

    [...] Dedico esta idéia e tudo o que surgir disso a Miranda July, artista que me levou a chamar projetos assim de “mirandas”. (Gostou do texto?) [...]

  • joice

    acertei a senha de primeira

  • tati

    A função da senha é linda, a mágica é de quem a coloca. Muito generoso. Não te torna um voyeur, mas um visitante amigo.

  • “Beijo e sexo são coisas que não existem” « blog em movimento

    [...] Série “Mulheres que me dão tesão” (1) – Miranda July [...]

  • Laura

    Eita! Acertei a senha de primeira!

  • joana

    que dica mais elevante…
    ela é super linda porem se não dá prazer não adianta nada!!!

  • Lucia Souto

    Não consigo baixar o Guia do Prazer a Dois, tá dando erro pode me ajudar?

  • Gustavo Gitti (autor)

    Lucia,

    Acertei o link, pode baixar:

    http://pdh.co/guiaprazeradois

Deixe seu comentário...

Se for falar de seu relacionamento no comentário, seja breve, não cite nomes e não dê muitos detalhes, caso contrário não será publicado. Lembre-se que não há nenhum terapeuta de plantão.