De mulheres para mulheres: 5 textos perfeitos sobre o novo feminino

por Gustavo Gitti 11 janeiro 2008 26 comentários

Shrek e FionaÉ fato. Algumas mulheres já estão sentindo e se movendo a partir de um novo nível de feminilidade, um aprofundamento do feminino. Vejo muita entrega, confiança e coragem nisso, pois não é fácil chamar novamente para a cama o mesmo machão que já a estuprou, reprimiu e trancou.

Se você imaginar o desenvolvimento feminino pela história humana como sendo o percurso de uma única mulher arquetípica, verá que é isso mesmo que ela está fazendo: convidando seu estuprador para um drink. Tal convite, contudo, é direcionado apenas àqueles que já fizeram uma boa viagem pelo feminino e hoje expressam um masculino que atravessa as paredes, dono de uma sensibilidade ativa, usada para inspirar sua condução. Esse canto-chamado feminino ajudará também a formar homens assim.

Uma das mulheres receia ser antiquada, quando tudo o que deseja é um homem cavalheiro. Outra relata sua decepção e desconfiança com homens, dissolvida por uma repentina abertura. Outra, ainda, sente falta dos homens Shrek… Enfim, é um texto melhor que o outro, de uma nova geração de mulheres decididas e não menos entregues. Um verdadeiro serviço de utilidade pública para homens e mulheres!

Vou me conter nas análises e simplesmente linká-los. Homens, leiam também, por favor.

Machismo sob meu ponto de vista
TksVeryMusha | Carol Camarotti
“Um homem de verdade, nos dias de hoje, deve saber colher o que o machismo tem de bom e manter em si essa cultura e uma mulher inteligente deve reconhecer que quer SIM viver sob a proteção do seu companheiro. Devemos admitir que adoramos que eles abram a porta, que eles tenham ataques de ciúme, que carreguem as malas, que resolva os “assuntos pesados”, que fale palavrão, mas que detesta nos ouvir falando, que não nos permita traí-los. Isso tudo não deixa de ser vestígios da cultura machista.”

O cavalheirismo e a diferença entre homens e mulheres
Deusário | Liliana Pellegrini
“Eu gosto quando abrem a porta do carro para mim. Eu gosto quando carregam meus pacotes. Eu gosto quando andam do lado de fora da rua. Eu gosto quando pagam a conta do jantar. Eu gosto quando colocam o paletó em meus ombros para eu não passar frio. Eu gosto que me dêem passagem primeiro na porta e abram a porta para mim. Eu gosto que me dêem o braço quando eu estiver com um salto muito alto num piso ruim de andar. Eu gosto de ser tratada como uma dama, uma princesa, como uma rainha.”

Meu lado Fiona fala mais alto
Eu sei, mas esqueci… | Fabi
“Por favor, incentive o crescimento de ogrinhos. Deixa o menino raspar a cabeça, ou andar descabelado, isso é charmoso. Não fica falando que ele precisa fazer sobrancelha.”

Balada de um coração desconcertado
Idéias na Janela | Kandy
“Para ela, todo homem era um joão-vai-com-os-outros, disparando intimidades hiperbólicas em rodas bêbadas de amigos sóbrios demais para saber que ela existia.”

A pegada
Deusário – Liliana Pellegrini
“Eu definiria A Pegada como a capacidade de um macho de desarmar uma mulher. Pode ser com um olhar, com uma frase, com um toque.”

Blog Widget by LinkWithin

Para transformar nossas relações

Há algum tempo parei de escrever no Não2Não1 e comecei a agir de modo mais coletivo, visando transformações mais efetivas e mais a longo prazo. Para aprofundar nosso desenvolvimento em qualquer âmbito da vida (corpo, mente, relacionamentos, trabalho...), abrimos um espaço que oferece artigos de visão, práticas e treinamentos sugeridos, encontros presenciais e um fórum online com conversas diárias. Você está convidado.



Receba o próximo texto

26 comentários »

  • Liliana

    Caro Gustavo,
    Fico honrada por você ter indicado meus textos.
    Obrigada
    Beijos,
    Li

  • cybele

    Liliana concordo com você, um olhar, uma palavra seduzem até mais que uma pegada…. aquele frio na barriga, aquele arrepio pela coluna acima….. Ainda acredito que pisamos muito fundo no acelerador, pois nossos ogros estão assustados e não sabem como agir, mesmo quando a intenção é voltar a moda antiga.
    bjs

  • Thiago dos Reis

    vcs existem? quando seguro algo pra alguma mulher geralmente ela diz ‘deixa que eu seguro’

    quando vou abrir a porta, olham com estranhesa.. quando ando do lado de fora da rua não entendem o motivo.. aceitam um casaco se estiverem com frio e que eu pague a conta, mas só pq lhes convém.

    ou vocês estão mentindo ou não conheço mulheres de verdade. e estou certo de que é a segunda opção.

  • cybele

    A questão para a mulher moderna é: “Eu posso ser única e eu mesma enquanto ainda trago a essência do que é feminino? Esta pergunta caiu na minha caixa de e-mail.Coincidência? Vamos lá meninas!!!!

  • João

    Quanta lição que aprendi ;) Realmente os textos dessas mulheres tem muito valor para mim

  • Fabiana

    Gustavo,sempre falo que gente pra mim é um mistério. Falando de homens então… taí uns seres que não entendo bem apesar de adorar.

    Relacionamentos viram uma grande confusão, onde as cartas não estão marcadas e muitas vezes um nao sabe qual o papel desempenhar, nem o que esperar do outro. Muito confuso, rs

    Obrigada pela indicação.

    bjs

  • Fabiana

    Gustavo, com licença mas vou responder ao Thiago.
    Querido sempre que uma mulher se oferece pra fazer alguma coisa que se espera normalmente que um homem faça, nada mais é do que medo de parecer fragil e dependente e assim assustar o homem. Toda mulher sem exceção gosta de gentilezas. Se abrirem a porta pra mim agradeço,senao, nao morro por isso. Os pacotes eu normalmente se estiver acompanhada dou nas mãos do homem pra carregar sem nem que ele perceba. Se estiver sozinha, carrego sem problemas.
    Voce conhece mulheres, só talvez não as conheça de verdade. E isso não é culpa sua.

  • Kandy

    Que surpresa ver meu texto listado num post assim, tão especial. Obrigada! Sabe, os homens dizem que não entendem as mulheres. Isso pode ser possível quando elas se expressam por meio de indiretas. Homens não são bons com indiretas. Mas, mesmo quando somos tão objetivas quanto eles, quando dizemos o que sentimos e o que esperamos, ainda assim eles dizem que não nos entendem. Aí, em vez de ficarem felizes por não terem mais o que decifrar, se assuntam com tanta objetividade e acham que tudo perdeu a graça, porque, para eles, a graça é conquistar e decifrar. Mas sem decifrar, não há conquista e, se são péssimos em decifrar, vêm com essa desculpa de que não nos entendem. Eu, sinceramente, fico sem saber como agir…

  • Thiago

    contarei uma história que aconteceu esse ano. estava saindo com uma garota pela primeira vez e com 2 amigos e uma amiga.. eram 2 casais e sobrava um garoto..

    fomos a uma pizzaria pegar pizza pra viagem. os outros iam em um carro e eu e a garota em outro. saindo da pizzaria peguei as pizzas do balcão mas ela falou ‘deixa que eu carrego’ e pegou as pizzas.. e depois falou ‘vc não sabe carregar’.

    beeeleza! nem me senti um idiota mas tudo bem. então chegando no carro, fui até a minha porta, abri e antes de entrar falei pra ela, que estava na porta do carona: ‘a porta tá destrancada’. entrei e a esperei. ela entrou no carro uns segundos depois. não estava brava..

    foi relaxo meu. mas depois disso ela pediu pra sair comigo mais 200x. nunca mais saí pois não gostei dela (por outros motivos, claro).

    ok, podem rir.

  • Thiago

    ah.. e obrigado, Fabiana. das próximas vezes serei insistente.

    ‘DEIXE QUE EU CARREGUE DESGRAÇA! ESTOU SENDO CAVALHEIRO VC TEM PROBLEMA DE DISCERNIMENTO?’

    hehehe. é, eu sou assim.

  • cybele

    Peço licença também, Gustavo.
    Não é discernimento Thiago. As mulheres correram tanto nestas ultimas décadas e foram bombardeadas com tanta informação sobre como estar nesta competição, que a linha entre os sentidos ficou além de muito esticada, fina. Atenção, carinho, surpresas,respeito,educação, espaço e outras gentilezas e valores são importantes entre pessoas que se relacionam, ou não.

  • Fabiana

    Nossa Thiago, cuidado, se bater eu gamo, rs

  • Taty Butterfly

    Interessante! O que acabou me convidando, senão intimando, a participar desse debate foi a parte inicial do texto. O segundo parágrafo, no meu ponto de vista, parece falar de um homem, que por ter feito as pazes com o feminino, ou seja, se permitido vivenciar suas próprias experiências e interpretações do devir feminino, passou a expressar uma sensibilidade maior em sua convivência.
    Tentando traduzir melhor o que a meu ver seria essa experiência, acredito que tenha relação com a incrível imersão que muitos homens têm se permitido nos dias de hoje – por exemplo – muitos homens não se envergonham em demonstrar prazer e alegria no exercer sua paternidade de forma consciente, espontânea e bastante paternal, se preocupando com o desenvolvimento de seus filhos muitos pais passaram a valorizar a qualidade dos momentos e os valores que compartilham no exercício da paternidade – ou seja – eles não delegam às mães a responsabilidade de acompanhar seus filhos, mas se permitem compartilhar e vivenciar sua própria forma de experienciar uma paternidade mais presente e consciente.
    Pergunto se no tempo de nossos pais ou avós, os homens eram mais presentes no exercício da paternidade, ou cumpriam o papel de provedores tão a risca, que não se davam conta, de que perdiam o contato com essa possibilidade?
    Quando falo desses homens contemporâneos que parece terem descoberto o prazer de exercer uma paternidade consciente e presente, penso que não perdem nada com isso nem tampouco deixam de ser homens, afinal, não o deixam de ser ao vivenciar aspectos que, em outros tempos, pareciam pertencer apenas ao mundo feminino. Não seriam esses homens aqueles que se permitem vivenciar uma sensibilidade mais refinada? Essa incrível mescla, sob a qual apenas citei um exemplo, parece fazer parte de nosso contemporâneo, de múltiplas formas, e sob muitos outros exemplos.

  • Thiago

    cybele,
    sou atencioso, carinhoso, terno, respeitoso, educado na medida do possível, bem-humorado na mesma medida, gentil e não sou espaçoso. haha

    Fabiana,
    infelizmente eu não bato. :(
    serve uns empurrões? tipo
    ‘VC NÃO SE TOCA DESGRAÇA DEIXA EU ABRIR A MERDA DA PORTA! EU SEI QUE VC TEM DUAS MÃOS E QUE VC NÃO É ALEIJADA PORRA!’

    é mais ou menos o que direi da próxima vez que não deixarem eu abrir uma porta.

    ou quando deixo a mulher passar na frente e ela me dá passagem pra eu passar na frente, fico PUTO!
    vontade de dizer ‘NÃO LINDA, VC NÃO ENTENDEU. É QUE DO OUTRO LADO DA PORTA TEM UM TIROTEIO QUERO QUE VC ENTRE NA FRENTE E SEJA MEU ESCUDO HUMANO!’

  • Fabiana

    Thiago, já descobri seu defeito meu bem. É simples, você é flamenguista.

  • Thiago

    Fabiana,
    vou mudar o website na hora de fazer comentários então.. eu tenho dois.. clica nesse de agora e vai ver meu verdadeiro clube de coração. :]

    Só espero que você não seja vascaína ou corinthiana rsrs

  • peixoto

    manero o texto!

  • Sérgio

    Boa noite,
    Fiquei feliz ao encontrar esta pagina, pois não acreditava q existissem mulheres com estas características. Pois bem, o Thiago relata bem o q acontece na maioria das vezes, quando se tenta ser cavalheiro.Causa-me espécie, ver algumas mulheres aclamando este tipo de atitude dos homens, visto Thiago, q já passei algumas situações constrangedoras também.Ex: se abro a porta(nunca foi disso), se dou flores amarelas(adorei, no entanto gosto mais de vermelhas),se fico com ciúmes(vc é inseguro),se quero carregar as malas(deixe q eu carrego, pq tem coisasde quebrar),se levar as compras e ñao opinar(vc não me ajuda), se opinar(há desse jeito não),se não dá a mão(vc ta com vergonha de mim?), se quer dar a mão(é chamado de grudento).rs…
    Por estas e outras, hoje estou solto, e minha ex, vive me procurando querendo aumento de pensão. Nada contra esse ou aquele tipo de mulher, apenas estou no meu canto curtindo minha vida, e quando pintar alguém com as características supra-citadas , vou me dedicar. Aliás, já encontrei alguém com estas características “eu acho”, vamos ver se é propaganda enganosa. De qualquer forma, se há defensoras aqui , é prova viva q existem.
    Vou investir nesta nova relação, e depois venho aqui relatar, se assim desejarem…

    MULHERES POSSÍVEIS..
    Texto na Revista do Jornal O Globo

    “Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
    Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
    Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões liga dos à minha profissão e ainda faço escova toda semana – e as unhas!
    E, entre uma coisa e outra, leio livros.
    Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
    Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
    Primeiro: a dizer NÃO.
    Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO.
    Culpa por nada, aliás.
    Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.
    Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
    Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
    Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
    Você não é Jesus Cristo .
    Você é, humildemente, uma mulher.
    E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.
    Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicame nte cor reta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.
    É ter tempo.
    Tempo para fazer nada.
    Tempo para fazer tudo.
    Tempo para dançar sozinha na sala.
    Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
    Tempo para sumir dois dias com seu amor.
    Três dias.
    Cinco dias!
    Tempo para uma massagem.
    Tempo para ver a novela.
    Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
    Tempo para fazer um trabalho voluntário.
    Tempo para procurar um abajur novo para se u quarto.
    Tempo para conhecer outras pessoas.
    Voltar a estudar.
    Para engravidar.
    Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
    Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
    Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
    Existir, a que será que se destina?
    Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
    A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
    Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
    Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
    Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
    Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
    Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
    Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
    Desacelerar tem um custo.
    Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
    Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
    E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante”.

    Martha Medeiros – Jornalista e escritora

    REPASSEM PARA TODAS AS MULHERES MARAVILHOSAS QUE TRABALHAM, QUE BATALHAM, QUE LUTAM PARA SER FELIZ E A TODOS OS HOMENS MARAVILHOSOS QUE VALORIZAM ESSAS MULHERES.

  • renayne

    Na minha opinião a culpada dos homens terem se afeminado tanto ou até mesmo só deixado de fazer o papel de machõ são as mulheres modernas,pois elas se acham auto-suficientes fazendo com que os homens se achem menos importantes para nós mulheres .
    Eu tenho que admitir que adoro machões e fço questão de cavalheirismo pois adoro ser feminina deixo o lado mais busco das coisas para os homens .

  • Thiago

    Tenho um enorme carinho e respeito pela figura feminina!
    é fato que são cheias de dúvidas, conflitos e questões existencias capaz de nos deixar loucos em poucos segundos (rs).
    Mas talvez seja esta uma das graças na mulher. A provocação constante, de não nos deixar acomodar. Isto pelo menos me agrada, pois me provoca estar sempre ativo. Isso acaba exigindo por vezes esforço, o que alguns não aceitam ou se chateiam. Exemplo do meu CHARA que parece não suportar ser provocado.
    Concordo em partes, pois as vezes elas passam sim do limite. Mas considero que exigem e até merecem um pouco de paciência. Sinto um pouco também Thiago uma tendência de você não ser tão cavalheiro quanto diz. Acredito qeu ser cavalheiro não é so fazer uma ação de carinho, mas sobretudo compreender a mulher e até mesmo aceitar um não como resposta com dignidade.
    Como disse, concordo com vc em certos aspectos, mas tentar manifestar sua inquietação a certas coisas em certos momentos talvez seja melhor que apelar e generalizar as coisas.

  • fernanda

    adorei o texto!!!!
    muito bom mesmo!!!

  • romulo barreto

    Liliana, se queres ser tratada como uma dama, uma princesa, uma rainha, por que não chama um Dragão da Sorte e parte para o Reino de Wakka Wakka ? Para encontrar seu príncipe encantado, vai ter que beijar (beijou e continuar beijando…) MUITOS sapos… hehehehe.

    Boa sorte !

  • romulo barreto

    Liliana, se queres ser tratada como uma dama, uma princesa, uma rainha, por que não chama um Dragão da Sorte e parte para o Reino de Wakka Wakka ? Para encontrar seu príncipe encantado, vai ter que continuar beijando MUITOS sapinhos…hehehehe.

    Boa sorte…

  • luiz claudio

    Muito bom!o texto,virou até um debate os comentarios ,isso é legal desde que não haja ofensas.Quero entender a cabeça da mulher,sou um cara romântico,dedicado um bom pai de familia,atencioso dou tudo na medida certa e cavalheiro,ajudo nas obrigações da casa sempre quado posso,como lavar pratos,ajudar na faxina etc.Certa vez quis fazer uma surpresa para minha esposa,acordei cedo fiz um café da manhã de primeira até uma rosa coloquei na bandeja e levei ate a cama,pra minha surpresa…ela olhou e falou que maluquice é essa? Fiquei super decepcionado.Alem desta situação teve varias outras e eu fui mim travando aos poucos mas,continuei amado-a.Mas,veio a grande decepção ela mim traio,sofrir muito não existe dor maior que esta,seja no homem ou na mulher é uma dor que perfura a alma,que corrói todas as veias e comprime o coração.Eu a perdoei em nome de um amor que habita detro de mim eu a perdoei,hoje vivo com desconfiança,não sou mais o mesmo homem.Em fim não entendo as mulheres querem tudo e nunca estão satisfeita com nada,se o cara é um tosco,bruto reclamão se é dedicado,fiel,romantico elas não dão valor.Na verdade a mulher moderna est muito poderosa e nós homens muito fraco e dependente do ser mulher,nos tornamos escravo do corpo da mulher querendo ou não elas tem o comando,embora muitos machistas não querem admitir.

  • Larissa A

    ameeeeeeeeeeei todos os textos

  • Sergio Campelo

    Já leu a poesia Homem de Adna Maria Ferreira de Souza?