As melhores cantadas do cinema (3): A Verdade Nua e Crua | The Ugly Truth

por Gustavo Gitti 19 setembro 2009 61 comentários

The Ugly Truth

Semana passada fui na pré-estreia do filme A Verdade Nua e Crua (em cartaz desde ontem) e resolvi aproveitar para continuar a série “As melhores cantadas do cinema” com uma comédia romântica bem acessível, já que a maioria sequer encontrou o filme anterior para assistir (o italiano Caos Calmo).

Como sempre, não há spoiler algum, já que não falo nada da história. Leia à vontade.

O filme: comédia romântica dos novos tempos

Com direção de Robert Luketic (conhecido por Legally Blonde), The Ugly Truth monta um casal com Katherine Heigl (da série Grey’s Anatomy) e Gerard Butler (o Gerry de P.S. I Love You, sobre o qual já escrevi aqui em uma carta para minha ex-namorada), mais conhecido pelas mulheres como “Ê lá em casa…”.

Comparado com os casais das primeiras comédias românticas (When Harry Met Sally… ou Sleepless in Seattle), Katherine Heigl é muito mais solta (pra não dizer “mulher”) do que a Meg Ryan, e Gerard Butler bem mais firme (pra não dizer “homem”) do que Billy Crystal e Tom Hanks juntos vezes 100 ao quadrado.

Se a mulher das comédias românticas está cada vez menos meiguinha e santa, o homem ideal definitivamente abandonou o posto de nice guy e encarnou o canalha, o garanhão, o cafajeste – aquele homem que você hesita em apresentar para suas amigas e para sua mãe. No lugar da pele lisinha e asséptica (veja o cara que é rejeitado no triângulo amoroso do filme), barba e um toque de assimetria.

Em vez de “Eu me sinto tão próxima de você”, o amor atualmente começa com “Eu tenho medo de você”.

As comédias românticas não só espelham a dinâmica social como contribuem para sua formação. É por isso que é interessante observar os novos filmes do tipo que estão aparecendo. Ao mesmo tempo que mostram para qual homem está apontando o desejo feminino, eles instruem o olhar das garotas na plateia: “É esse o homem que você deve procurar”.

E sinceramente acho que o novo canalha das telas é ainda muito sensível, indeciso e bonzinho… Alguns relatos que vejo na Cabana PdH mostram que podemos ser bem piores, sacanas e implacáveis ao resgatar o melhor dos dois mundos. O cara chama sua mulher de longe, disfarçado de Tom Hanks (com um joguinho por SMS, por exemplo); assim que ela se aproxima, ele a pega com força e olhos de fúria. Às vezes isso vem de um moleque fraquinho de 17 anos, mas não importa: se há direcionamento, precisão e profundidade, ela sente um toque firme que a preenche e conduz.

O cinema será bem sucedido em sua doutrinação? Eu teria pena das mulheres: não é fácil lidar com um homem que quer te foder inteira, que não aceita mediocridade, que vai querer ver você cada vez mais mulher, mais feliz, linda, solta, mais inteligente e ousada.

Um homem que se diverte quando você surta, não acredita em suas decisões precipitadas e que ao mesmo tempo a estimula para direções positivas, oferecendo direcionamento e estabilidade para a relação. Um homem que não só ama você, mas faz a promessa de amar ainda mais as outras mulheres que você vai se tornar.

A cantada: mandar a real

theuglytruth2Pouco antes de começar a namorar, eu tive algumas relações que poderiam facilmente ter virado um namoro, não fosse minha completa falta de tempo.

Durante uma ligação em que uma garota me cobrava “Por que você não quer namorar comigo?”, eu abandonei o jogo da sedução e as noites de diversão garantida que poderíamos ter juntos depois. Parei, puxei ar e detalhei precisamente os fatos: “Eu estou trabalhando com isso, com aquilo, estou construindo isso, aquilo está dando certo, estou gerando tais benefícios e não tenho tempo algum para você”.

Ela tinha certeza que eu estava apaixonado pois ficava 100% com ela nos momentos em que estávamos juntos. E então falei: “Não, não estou apaixonado, apenas realmente estava com você quando estava com você”.

Ou seja, eu mandei a real. O resultado? Ela rodopiou entre pedidos carentes, frases agressivas e onomatopeias de mágoa atravessadas por uma lucidez crescente que ficou estável dias depois, quando nos encontramos novamente, sem problema algum, afinal não havia mesmo problema algum.

Se eu não tivesse falado a verdade, é bem provável que a relação tivesse sido interrompida naquele ponto: “Você me enganou, adeus”.

Falar a verdade que ninguém quer ouvir, eis o que Mike (Gerard Butler) faz o tempo todo no filme. Para um casal de apresentadores, por exemplo, ele diz que a mulher castrou seu marido (criticou, reprimiu, diminuiu) e agora reclama que ele não é mais homem no sexo. Falar a verdade interrompe nossa tentativa de enganar os outros e, principalmente, de nos enganar. Falhamos, somos descobertos e então começamos a agir a partir de onde estamos. É como um tapa que acorda nossos sentidos. Não é por acaso que o tesão imediatamente voltou ao casal atacado.

Em seu momento Dr. Love, ele dá uma de especialista neodarwinista e lembra que os macacos bonobos usam o sexo para acabar com uma discussão. “Uma de minhas técnicas preferidas”, finaliza.

Enquanto isso, Abby (Katherine Heigl) fica horrorizada com cada ideia pervertida de Mike, que discorda de seus pensamentos certinhos. Mulheres são fascinadas por homens que não dão a mínima para o que elas pensam deles. Tal ação evidencia direcionamento e autonomia, ou seja, o cara segue com ou sem ela. E, vocês bem sabem, liberdade dá tesão. É um processo explicado pelo funcionamento do desejo feminino, que cresce à medida que tenta capturar nosso desejo – falo mais sobre isso no artigo “A dinâmica do desejo feminino”, na Cabana PdH.

Em um dos diálogos do filme, ela pergunta: “You’re really that confident?” (“Você é mesmo tão seguro e confiante assim?” ou “Você se acha mesmo, né?”). O que ela não diz é o seguinte: “Pergunto porque eu adoro isso!”.

Nada irrita (e atrai) tanto uma mulher como um homem cheio de certezas que se acha o dono da verdade. Por um lado, ele pode ser orgulhoso, um completo imbecil autocentrado. Por outro, ele é o cara seguro que sabe onde está indo e diz aquilo que ela paga para ser verdade: “Vou te comer como nenhum outro homem”. Para além das possíveis patologias de orgulho e autocentramento, o que elas exigem (ou deveriam exigir) de um homem não é ser o dono da verdade, mas ser preciso (livre de hesitações),  autêntico (livre de manipulações) e com direcionamento (livre de estagnação ou confusão).

Falar a verdade para uma mulher implica em reconhecer a inteligência dela em compreender qualquer coisa, a liberdade dela em reagir como quiser e sua transparência em se comunicar diretamente com você, sem roupagens, sem defesas. Ao mandar a real, confiamos no outro e elevamos a relação.

Pergunte a um marido que trai sua esposa e morre de medo de ela descobrir: “Por que você não conta?”. Provavelmente ouvirá: “Ah, porque ela ficaria louca e acabaria com tudo”. Ou seja, ele não confia na liberdade dela em fazer diferente, não oferece a opção de agir com base na realidade. Ele a subjuga, inferioriza, tira sua autonomia.

Ou olhe para um homem certinho. Sendo romântico, falando o que ela quer ouvir, é bem possível que ele a agrade por um tempo. Porém, se ele estiver mentindo para si mesmo, ela eventualmente se sentirá enganada e a frustração final será bem maior do que a momentânea que ela enfrentaria ao ouvir uma fala nem tão romântica, mas verdadeira.

O sexismo presente no filme

Muitas das verdades do filme não são exatamente verdades. Veja as seguintes falas de Mike:

“Nunca fale de seus problemas. Os homens não escutam e nem se importam. Quando eles perguntam ‘Como você está?’ é só um código para ‘deixa eu meter meu pau na sua bunda’.”

“Precisamos deixar seu cabelo mais longo. Homens gostam de algo pra agarrar além da sua bunda.”

É bastante machista a imagem que vincula homem ao sexo (corpo, prazer, instinto) e mulher ao amor (alma, santidade, razão). Ao fazer isso, tiramos da mulher a liberdade de expressar seu desejo. Sinceramente, tenho certeza que a mulher gosta e aproveita mais o sexo do que o homem. Certeza.

Além de machismo, é pura ilusão, afinal atualmente é muito comum ouvirmos as mulheres reclamando de homens chorões que só falam de seus problemas ou de caras que não puxam seus cabelos, batem na cara e trepam de verdade.

Quando é pra ter prazer, ser instintiva e passional, a mulher se sai bem melhor do que o homem. É por isso que eu gostaria de ver, na próxima comédia romântica, um casal invertido: o cara certinho diante de uma mulher ousada.

Além disso, repare nesta e em qualquer outra comédia romântica: a mocinha espera a declaração do galã para então se declarar também. “Eu amo aquele que me ama”, ou melhor, “Para eu te desejar, basta você me desejar”, postura que já critiquei aqui.

Assista ao trailer

P.S.: Ainda que a cantada invisível seja “mandar a real”, o grande momento em que ele vira homem e a faz mulher é outro. Uma cena que cria magnetismo e muda toda relação entre eles, algo que já recomendei aos homens várias vezes no Não2Não1 (prática regular da Cabana PdH).

Assista ao filme e venha aqui comentar qual é.

Blog Widget by LinkWithin

Para transformar nossas relações

Há algum tempo parei de escrever no Não2Não1 e comecei a agir de modo mais coletivo, visando transformações mais efetivas e mais a longo prazo. Para aprofundar nosso desenvolvimento em qualquer âmbito da vida (corpo, mente, relacionamentos, trabalho...), abrimos um espaço que oferece artigos de visão, práticas e treinamentos sugeridos, encontros presenciais e um fórum online com conversas diárias. Você está convidado.



Receba o próximo texto

61 comentários »

  • Tweets that mention As melhores cantadas do cinema (3): A Verdade Nua e Crua | The Ugly Truth | Não Dois, Não Um: Um blog sobre relacionamentos lúcidos -- Topsy.com

    [...] This post was mentioned on Twitter by Gustavo Gitti. Gustavo Gitti said: "As melhores cantadas do cinema (3): A VERDADE NUA E CRUA | The Ugly Truth". Novo texto no Não2Não1: http://migre.me/7jz4 [...]

  • isabella

    Uau!

  • nandi

    eu gosto da parte q ela descobre q ele afinal não é tão imune assim à provocação. equilibra o jogo é é onde td começa a ficar mais interessante! =)

  • Adriana

    Por mais ridículo que pareça, o homem que você descreveu como o do filme muito me lembrou o Han Solo, inclusive as verdades “feias”.

    Não deve ser por acaso que quase todas as mulheres que eu conheço (e que conhecem Star Wars) o apontam como exemplo de personagem atraente.

  • Eterna Aprendiz

    “Pouco antes de começar a namorar, eu tive algumas relações que poderiam facilmente ter virado um namoro, não fosse minha completa falta de tempo.”

    Gitti, imagine-se dizendo à sua atual namorada o que você disse para a tal garota que, teoricamente, poderia ter te proporcionado “noites de diversão garantida”:
    -”Eu estou trabalhando com isso, com aquilo, estou construindo isso, aquilo está dando certo, estou gerando tais benefícios e não tenho tempo algum para você”.
    Percebe onde quero chegar, meu amigo?
    Não consigo acreditar que com ela você agiria da mesma forma.
    Ah!…e deixe-me esclarecer que sou extremamente desprovida de romantismo, apenas acredito que, além da quimica, existem desígnos que não alcançamos…
    Espero feedback.

  • Gustavo Gitti (autor)

    “Não consigo acreditar que com ela você agiria da mesma forma.”

    Pode acreditar: eu agi. Na noite em que a conheci, mandei a real. Pedi o telefone e quase disse o que pensei a noite toda (“Ela vai ser minha namorada”).

    É que “a real” muda, tá sabendo?

  • Mariana

    Então o seu problema não era falta de tempo, era falta de paixão! Tanto que pra sua namorada você arrumou tempo, não foi?
    Eu andei saindo com um cara, e era bem assim também. Nunca tínhamos tempo. Provas de faculdade, relatórios, viagens a trabalho… mil coisas dando certo, outras mil dando errado e a gente tentando consertar. Até que um dia, no msn (não foi nem pessoalmente, tamanha era a falta de tempo)eu disse pra ele que nossa relação não fazia sentido, já que não havia esforço para nos encontrarmos. E ele disse: “Ah, mas é falta de tempo, vai passar”. Não era mesmo! eu falei pra ele: “Se fossemos apaixonados, arrumaríamos tempo, como eu já arrumei outras vezes e vc já deve ter arrumado também”. Ele concordou e “terminamos” de boa. Quando a gente não é apaixonado, pode até ser completamente presente quando está com alguém (o que eu particularmente não consigo, mas homens costumam se sair melhor nisso). Mas quase qualquer coisa é prioridade em relação ao outro. Agora, quando vc sabe que aquele (a) será seu (a) namorado(a), vc pode ter uma prova sisnistra no dia seguinte, mas vai se deslocar às 10 da noite pra ver alguém, chegar atrasado sem saber quase nada da prova e ainda achar tudo isso lindo…

  • Valk

    Homens: aprendam a conduzir bem uma mulher na dança… Eita cena boa, viu?! Deu até calor…

    Desde as comédias românticas da idade média (entre a pré história de Sleepless in Seatle e a modernidade de The Naked Truth), tipo How to loose a guy in 10 days ou Bridget Jones, os personagens masculinos começaram a demonstrar um comportamento bem real: eles sempre preferem as mulheres histéricas e crisentas às garotas legais e tranquilas.

    Homem adora o chilique feminino, sente-se valorizado quando as mulheres demonstram ciúme e fazem drama em seu nome… That’s the naked truth!!! ;)

  • Gus Sousa

    Fala Xará,

    Assisti ao filme na sexta e comentei na Cabana sem nem ter lido o seu texto, mas concordo com o que você escreveu. São aqueles velhos debates sobre ser real e sincero, o uso de máscaras, postura de guerreiro etc. que tantas vezes aparecem lá. Certos comportamentos “artificiais” podem até funcionar no começo, mas com o tempo, o peso de carregá-los torna-se insustentável.

    Quanto ao filme, achei espetacular e acredito que muitos cabaneiros (e homens em geral) se identificarão com algumas cenas. Notamos que um ator é muito bom quando o cara faz o papel de Leonidas (300), Gerry (P.S. I Love You) e Mike com maestria sem se prender a um estereótipo da indústria do cinema/teatro/televisão.

    Abração,
    Gus Sousa

    PS: ouvi de um grande mestre uma vez a seguinte frase “O tempo quem faz é o homem”. Depois discutimos isso…hahaha

  • Eterna Aprendiz

    Hahahahaha…Marina e Gus Sousa, vocês deram o recado que eu tentei dar mas não consegui, provavelmente, porque já estava na quinta latinha de Skol. Obrigada!
    Tô achando graça porque ao invés de ser simples, direta e clara como vocês, enveredei para “existem desígnos que não alcançamos”…
    Hahhahaha…bebum querendo impressionar é, no mínimo, non sense.

  • Marília

    Bom filme! E maneira inusitada de conquista… Meu longo namoro de 3 anos e meio durou por causa da verdade… Provavelmente esse filme fez uma certa diferença no nosso futuro.

    Uma boa perspectiva que o filme deu dos relacionamentos foi como as pessoas se veêm de maneira distorcida com o passar do tempo e como o relacionamento, no final das contas, vem de maneira perfeita e maravilhosa sem qualquer explicação…

    O melhor foi qndo ele disse que gostava dela, mas não sabia a razão. O oposto do outro rapaz…

    É aí que está a beleza dos sentimentos, pois nunca há razão real, só talvez uma gama de detalhes que fazem toda a diferença! (Assunto já citados neste blog…)

    Uma das poucas comédias românticas que quebrou a idéia de relacionamento e homem ideal. Chega de contos de fadas na nossa imaginação, não acha?

    Se as comédias românticas passarem a ser assim, acho que vou voltar a assisti-las com mais interesse!

    Belo post Gustavo! Parabens novamente pelo seu trabalho!

  • Asd

    Cara, eu já tinha visto o trailer desse filme no cinema e já tinha me interessado em ver…
    Vê-lo-ei! =D

    Mas eu vim mesmo aqui comentar porque você disse que ninguém viu “Caos Calmo”…
    Que absurdo ae desse povo preguiçoso!
    Porra, se em locadora estiver difícil de achar (o que às vezes é mesmo), é só fazer uma busca rapidíssima em um site de torrent e baixar! SIMPLES!

    Povo folgado =P

    Abraço

  • Vovó das Havaianas age como um homem de respeito | Revista Papo de Homem - Lifestyle Magazine

    [...] peito aberto às críticas, andar sem medo em zonas de confusão, não se esconder, não manipular, apenas mandar a real sem ataques, sem atrito, com um sorriso no [...]

  • Sabrina

    Adorei seu blog e a profundidade das suas análises.

    Meu a maior vontade de assistir ao filme. E com certeza voltarei para deixar minhas impressões.

    Vou te seguir =)

    Bjs

  • Mariana

    “Eles sempre preferem as mulheres histéricas e crisentas às garotas legais e tranquilas. ”

    Então, homens: isso é verdade?

    Acho que pode até ser uma preferência sim, mas talvez seja inconsciente e por isso a maioria vai dizer que não…

    Se preferirem, ficarei triste, pois eu não sei dar chilique… =/

  • Gustavo Gitti (autor)

    “Então, homens: isso é verdade?”

    Mariana, não se preocupe com isso.

    Se eu fosse me preocupar em ser aquilo que as mulheres querem, eu tava louco, internado.

    Se você se preocupa, é como uma mãe que pergunta “Eu to bonita?” ou como uma namorada que implora e pede direto por um “Eu te amo”. Sabe quando você ia dizer mas não diz porque não quer se sentir mandado?

    É a mesma coisa: querer aprovação só causa desaprovação.

    Seja uma moça feliz. Mulheres em geral ficam lindas quando ficam felizes, pena que antes elas precisem trocar o cabelo, o peito e ainda ser bem comidas.

    Seja feliz e vá direto pro “ser bem comida”, que vai complementar muito a felicidade inicial.

    Abração!

  • Mariana

    Que bom, porque ser crisenta nem é comigo! Nem trocar cabelo ou peito…
    Mas ao ler o comentário da Valk, me vieram à mente várias meninas que deram crise e “conseguiram o q queriam”… aí rola o “será que isso é verdade?”

    “Sabe quando você ia dizer mas não diz porque não quer se sentir mandado?” Sei. E lembro de quando eu era mais nova e pensava:” meu quarto tá uma zona, vou arrumar esse troço agora”. Aí vinha minha mãe e dizia: “Mariana, arruma esse quarto A-GO-RA!” Putz, brochante…

    Vou continuar sendo feliz e bem comida (sempre que possível, é claro)! Pq dar chilique não rola…

    Já faz um tempo q acompanho seu blog, mas só agora venho tendo coragem pra comentar. Muito legais as coisas q vc escreve, coisas que às vezes estão dentro da gente, mas a gente não se toca.
    Bjo grande!

  • Samuel

    Mariana – “Eles sempre preferem as mulheres histéricas e crisentas às garotas legais e tranquilas”

    Não, discordo. Por 11 meses me relacionei com uma mulher que tem transtorno bipolar do humor – tbh e transtorno de déficit de atenção por hiperatividade – tdah. Mesmo assim não admite que é doente e não quer procurar ajuda, nem médica nem espiritual, o que seja. Fui amigo, amante, namorado, irmão, pai, mãe dela. Só tomei patada -:)

    Dorme doce e amorosa, mulher para casar, mulheres que amamos. Acorda noutro dia e sem motivo nenhum, por causa de nada, surta, te agride, grita, xinga você, teu pai e tua mãe (que nunca nem os viu, não os conhece). Um ia tá doce na academia, alegre. Noutro tá triste de canto. Noutro tá mista, euforia/depressão. Ofende de graça e várias vezes. Surtos de histeria, agressividade, intolerância. A energia dela e do ambiente, que estava postitiva, zen, se transforma em caos, negatividade, meu coração fica gelado. Claro que não só as bipolares são assim. Há mulheres não-bipolares que motivos de Ego, identificados com orgulho, egoísmo, narcisismo, stress etc etc também são agressivas e surtam. Mas, infelizmente os surtos que presenciei dela nesses meses foram tristes. Atos insconsientes. Forçou-me, forçou-nos à nos afastar. Ela quis isso, eu sei. Não, não gosto de histeria, agressividade e brigas. Sou do Zen, quero uma mulher serena, amorosa, onde não haverá necessidade de palavras, discussões, duelos e sim apenas o olhar, o sentir, pegar na mão em silêncio e sair pela Avenida Paulista sem destino

  • Petterson Damacena

    Ainda não assisti o filme, mas as mulheres gostam de serem dominadas em uma relação, por mais que digam o contrário.

    O macho dominante tem que ter o controle entre a mentira e a verdade, tudo na dosagem certa.

  • #Juliana#

    Acho que homem cafajeste já ficou tão estereotipado, que já não tem tanta graça. Faço a aposta de que futuramente os homens mais desejados serão os “nerds”.

    Claro, existe aquele lance da “dinamica do tesão feminino” que sim, é ativado mais pela provocação de um desejo no outro, o que geralmente exige mais empenho nos “cafas” da vida. Mas está batido.

    Gustavo, admiro muito o fato de você ter “mandado a real”, mas NUNCA encontrei um homem, dentre áqueles ao qual me relacionei, que mandaram a real pra mim – quando tudo que eu queria, era justamente isso.
    Pelo menos se um deles deixasse claro que não tencionava se relacionar seriamente e que por tesão e comodidade, poderíamos sair casualmente, a decisão de continuar se relacionando com ele seria totalmente minha, nem mesmo meu subcosiente poderia me enganar afim de que não me sinta usada, criando ilusões em gestos que não têm nenhuma outra conotação do que o simples ato de compartilhar um momento, seja assistindo um filme, ou transando.

    Abç

  • Mariana

    Samuel, quando falo em garotas “crisentas”, na verdade me refiro a crises digamos, leves. Sua ex provavelmente precisava de tratamento e tals, era outro caso. Mas às vezes um chilique demonstra que a pessoa te quer ao lado dela, saca? Demonstra que vc não etá sendo o homem que deveria ser, ou que poderia dar mais atenção ou externar mais o amor que sente. Demonstra que ela quer carinho, que na verdade toda aquela falação sem sentido é só um pedido desajeitado de abraço. É claro que há outras formas de demonstrar isso também, formas que são as que eu uso e que foram o motivo da minha preocupação, já que não sou de dar chilique….rs

    Geralmente quando algo não me satisfaz eu me afasto por um tempo, e se me deixar realmente triste aí tem q conversar mesmo. O ruim é quando vc se afasta e o cara não sabe o que fazer (e acaba por não fazer nada, pois homens não têm tanto costume de se mexer), aí vai criando aquele abismo que observamos em muitos relacionamentos duradouros. Por isso acho que “chiliques moderados” (q engraçado isso…) podem ser válidos, desde q não haja ofensa nem agressão, é claro. Também acho nada a ver brigar em público. Enfim, acho que esses ataques femininos pode dar uma despertada no cara, mostrar q ele tá agindo errado, não sei.

    Eu só “surtei” uma vez, com um cara que foi muito babaca comigo. Foi como dizer: “Eu não vou admitir tal atitude!” Nós terminamos e até dói, mas eu não me arrependo nem um pouco. Terminaríamos com ou sem o surto, a diferença é que talvez ele me procurasse depois, achando que ainda estaria esperando por ele.

    Mas se esses ataques não fazem muito parte da essência da pessoa, aí não adianta, né?

    “quero uma mulher serena, amorosa, onde não haverá necessidade de palavras, discussões, duelos e sim apenas o olhar, o sentir, pegar na mão em silêncio e sair pela Avenida Paulista sem destino” — Que bonitinho!

    Bjos!

  • Lila

    três coisas:
    1. Essa coisa de mandar a real é uma loucura mesmo. descobri isso com o Lucas, porque fomos (ainda somos, claro) amigos antes de namorar. acontece que fiquei com outra pessoa no começo da nossa relação, ele também. eu com um ex, ele com uma amiga comum. quando contamos um pro outro, ficamos reciprocamente putos. mas o resultado é uma confiança tão grande porque sabemos que, por pior que seja o assunto, vamos conversar e resolver. não consigo pensar em nada que seja pior do que ficar com outro e contar pro parceiro mesmo com a certeza de que ele nunca ficaria sabendo. contar pela sinceridade, sabe?

    2. eu adoooro mandar. por mandar entenda tomar a iniciativa. mas não posso falar mais senão estraga a surpresa da entrevista (que te mando assim que entregar minha qualificação, juro!)! haha

    3. o que te faz ter certeza que a mulher gosta e aproveita mais o sexo? acho isso tão, mas tão relativo! queria ver um post sobre isso!

    ah, tava esquecendo: sabe o espetáculo? criamos um blog com aquelas histórias reais que originam as cenas. tá como meu site nesse coment.
    bj

  • Mari

    Amei o filme. Deixo aqui o comentário de 2 cenas:

    - “let me be your/the (não lembro exatamente) man!”
    Mas peraí. “LET ME?” Ouvir isso de um homem é brochante. Se ele se sente intimidado pela mulher num relacionamento a última coisa que deve fazer é pedir permissão a ela pra voltar a ser o homem da relação. Tem que achar uma forma de tornar-se o homem da relação e pronto. Mostrar isso pra ela com atitudes e provar que dali pra frente essa vai ser a real. Pedir permissão pra isso faz perder toda a validade do resto da frase. Me revirei na cadeira do cinema durante essa cena.

    Cena da dança: a melhor cena do filme! Ali, os dois personagens ficaram totalmente à vontade um com o outro, pela primeira vez no filme. Me revirei na cadeira do cinema durante essa cena. rsrsrsrsrss

    Bj

  • Gustavo Gitti (autor)

    Mari e Valk, é essa a cena!

    O cara é bonitão e fala bem, mas quando ele realmente bota magnetismo no lance é ao som de merengue. Tava tocando salsa, eu ia curtir muito vendo uma salsa, mas eles mudarem assim que rolou o convite.

    Claro, merengue é bem mais fácil.

    Abração!

  • marcos

    Achei muito curiosa a postura q vem com o personagem de mike no inicio do filme. Ele mantem a pose de macho, confiante e macaco (como alias se veste rs.) posso dizer q vi o Morroida na televisão da Abby. E foi a postura dele até o momento dele ouvir uma pergunta. “quem foi? Quem foi a mulher q quebrou seu coração?” na segunda vez q ele ouviu essa pergunta ele nao pode mudar de assunto novamente e mandou a real “nao uma, mas um desfile delas”.
    O dono da verdade se mostrou um bom ator cuja cabeça esta lotada de duvidas, mas que se esconde atrás de “amor no existe, é mais fácil você se contentar com sexo”
    Creio que toda a “machesa” de um homem está ai. Não a falta de sensibilidade dele mas a confiança que ele passa para sua mulher. Tanto numa frase “eu não acho. eu sei” quanto na hora que ele a leva pra dançar.
    a proposito… estou procurando aulas de dança de salão. juro q quando eles dançaram eu abaixei a cabeça e disse “puta merda, o gitti tava certo”

  • Samuel

    Mariana, sim, entendí seu contexto -:) Sim, chiliques moderados tudo bem, é bonitinho de ser ver e faz parte do universo feminino. Às vezes do masculino também. Mas surtos agressivos ninguém merece né? Ela vai ficar boa, rezo todos os dias. No dia das crianças, vou dar um saco de boxe para ela. Quanto aos meus anseios de querer uma mulher serena, amorosa…fazer o que né? Como um poeta louco, compositor e músico de 3 notas que sou, estarei sempre inserido nesse ensejo lírico e quase sempre subjetivo. Mas vale sim, tanto nas novelas e filmes, como no mundo “real”. Bjs!

  • Mariana

    Samuel,
    Sabia q um nível de chilique era bem aceito… rs. Mas seu saco de boxe certamente não será!
    O que fazer com seus anseios? Satisfazê-los, sempre que possível!
    Bjus e td de bom!

  • Mariana

    Gustavo,
    Vou reforçar a pergunta da Lila: O que te faz crer que a mulher gosta e aproveita mais o sexo?
    Bjos!

  • Gus Sousa

    “Hahhahaha…bebum querendo impressionar é, no mínimo, non sense.”

    Eterna,

    Vou confessar que, para alguns assuntos, escrevo melhor depois de algumas latinhas de cerveja.

    Agora por exemplo, acabei de abrir uma garrafinha de vinho, acendi um incenso e vou começar a escrever pra Cabana. É quase um ritual que faço toda vez que vou escrever posts muito grandes pra lá.

    Sai tudo melhor, pelo menos até eu começar a trocar as letras! hahaha

    Bjo

  • Gustavo Gitti (autor)

    “O que te faz crer que a mulher gosta e aproveita mais o sexo?”

    Sei lá, eu olho minha namorada e tal…

    hahahahha

    Isso é mais uma provocação do que uma afirmação.

    Mas realmente acho isso: as mulheres são mais loucas, mais dispostas a fazer qualquer coisa e mais insanas na cama. Basta a gente propor, conduzir, elas topam, fácil, fácil.

    Só que a gente pode foder geral, mas temos nossas restrições.

    O corpo delas é explorado bem mais do que o nosso, pode analisar. Não vou entrar nos detalhes aqui… ;-)

    Ah, e tem outro lance: pra maioria das mulheres, o sexo envolve mil outras coisas. Pra muitos homens, não. É cultural, claro, mas é fato, pelo menos por enquanto.

    E tem ainda outro lance: a mulher é penetrada, o homem penetra. Isso faz toda a diferença. Eu, por exemplo, posso penetrar 10 mulheres agora, uma seguida da outra, não tem muita diferença. Para uma mulher, 10 homens são 10 coisas diferentes entrando, entendeu? É totalmente diferente.

    Por isso elas acabam aproveitando mais, elas são mais invadidas do que nós. É claro que nós podemos realmente nos soltar e nos envolver tanto quanto elas, mas estou generalizando aqui pra efeitos de argumentação.

    Pronto, é isso que quis dizer com a frase lá.

    Ficou mais claro, Mariana?

  • Lila

    ai ai, gustavo. provocação aceita. (que difícil! ha)

    eu e as meninas daqui de casa decidimos montar um ritual para fazer o namorado feliz. somos 6 e cada uma contribuiu com uma idéia pra “explorar melhor o corpo do namorado, pra que ele se sinta mais usado” – nesse caso melhor que invadido, porque tem toda essa história da penetração e pareceria gay.
    estamos montando o passo-a-passo do ritual, caso outras meninas (marianaaa, topa?) queiram participar, mas o dia já está definido: sábado que vem (03 de outubro).
    depois compartilharemos as experiências. Só espero que o meu namorado não entre aqui e descubra tudo antes da hora.. rs

    E ps. não me convenceu essa sua resposta. talvez faça sentido pensando que a mulher sempre precisa de alguns carinhos a mais pra chegar lá, e o namorado, paciente, entende isso e descobre caminhos pra explorar melhor o corpo feminino. mas o cara tem que gostar da namorada e ser bem, mas bem paciente. Acho que o homem é mais visual enquanto a mulher mais tátil ou olfativa, ou sinestésica. trocando em miúdos: não achamos muita graça em ver um homem de cueca. já os meninos, ao verem uma lingerie… é isso, precisamos de mais estímulos.

    beijo.

  • Gustavo Gitti (autor)

    Lila,

    Vocês seis sábado que vem aqui em casa, então?

    hahahaa Não sei se entendi bem, parei na hora que disse “Somos 6″. ;-)

    “Acho que o homem é mais visual enquanto a mulher mais tátil ou olfativa, ou sinestésica.”

    Não é só isso. Vocês são mais abertas aos estímulos todos do mundo. Observe uma mulher gozando. Tem muita mulher que nunca viu uma mulher gozando de perto, só em vídeo.

    Chame os 6 casais pra uma festinha (tá bom, vai, pelo menos um) e compare homens e mulheres. Os caras não mudam de expressão tanto quanto as mulheres. Elas são mais abertas ao prazer.

    Eu já filmei e depois vi com calma. Enquanto eu ficava lá alternando entre algumas expressões, ela parecia um camaleão, cada vez se movendo de um jeito, se entortando, se abrindo, sorrindo, fechando o rosto… Às vezes vocês até choram.

    Ou seja, acho que aproveitam mais nesse sentido de ser atravessadas por mais coisas do que nós, que somos incapazes de entender o que é uma TPM (no corpo, não teoricamente).

    Cheiro, por exemplo, é algo essencial pra vocês. E não tanto pra nós, que gostamos muito de ver curvas e mais curvas, e pele de um jeito, e pele de outro, e curvas, sempre curvas. Talvez daí nossa paixão por automobilismo.

    E cheiro é bem isso: está em todo lugar, mas não está em lugar algum. É o ambiente, é sutil. Pra nós, não, a curva está ali, é precisa, definida.

    O fato das mulheres serem mais voláteis e entregues é maravilhoso, não é um problema. Isso pode ser um problema quando a mulher perde o eixo e a autonomia, assim como a firmeza masculina se torna um problema quando vira rigidez, impaciência, teimosia, cegueira.

    O legal de fazer afirmações meio “erradas” ou exageradas é isso: abre o diálogo. Por isso nunca gostei de discursos mais estatisticamente corretos. Eles simplesmente não despertam nossa vontade de contrariar.

    Ideias para as 6 amigas generosas:

    - Não façam nada romântico, dispensem velas e essas coisas.

    - Nossa chave de ignição é simples, bastar que vocês falem “Use o meu corpo como quiser”. Mas OK, vocês querem o contrário, vocês querem usá-los. OK, entendi, vocês vão deixar a chave mágica pra depois.

    - Massagem é bom, passar o cabelo no corpo inteiro é bom.

    - Ir direto com a boca, sem rodeios, sem ficar beijando barriga, sem ficar provocando lentamente, é SENSACIONAL. Ficar ali como se não fosse fazer mais nada é melhor ainda. Sério, assim, 10 minutos, 20, 30, 40… manja? Até você quase estourar a mandíbula. O cara tem de aguentar, mas enfim, isso é com a gente.

    - Se achar a mais gostosa do mundo, empinar a bunda, balançar os pezinhos, tocar no próprio corpo: fora de série.

    - Fantasia (enfermeira, colegial…) é excelente, me faltam adjetivos.

    - E enfim a melhor de todas as ideias: façam um striptease coletivo, das 6, diante dos 6 caras e depois transem de acordo com a política de vocês. Se vocês dançarem e se beijarem antes, pontos, um milhão de pontos pra todas.

    Que mal tem em ver a namorada do outro sem roupa? Na boa, na praia a gente vê quase tudo e ninguém surta.

    Eu já vi a namorada de amigos numa boa. Sem drama algum.

    Abração, Lila.

  • mau

    Muito bom o post!

    Posso dizer que sou uma prova viva de que mandar a real é uma das melhores coisas, eu e meu “amante” fazemos isso e mesmo sabendo de tudo eu ainda quero ficar com ele pq me dá prazer e me sinto bem com ele…

    Valew

  • namorada do gitti

    menos, gustavo.

    assanhadinho demais.

  • Mariana

    hahahaha
    Bom, a provocção funcionou.
    “Eu, por exemplo, posso penetrar 10 mulheres agora, uma seguida da outra, não tem muita diferença. Para uma mulher, 10 homens são 10 coisas diferentes entrando, entendeu? É totalmente diferente.” – Será mesmo que não tem muita diferença? Pode ser que a gente aproveite mais sim, mas pq vcs têm muito mais prazer em nos ver gozando do que nós em ver vcs. Então vcs capricham mais (ou pelo menos deveriam…).

    Lila, pra mim, ver homem de cueca tem graça sim! Claro, se a cueca for decente. Lembro-me de uma vez que não tava com vontade nenhuma de transar, até ver o respectivo de cuequinha preta… hmmm…
    Adoraria aceitar sua proposta, se tivesse um namorado! Minha mãe tem um sex shop e toda vez que vou lá, fico pensando em váááááárias coisas, no estilo ritual pra usar o namorado! Boas as dicas do Gitti, mas strip-teasse coletivo… não sei se toparia! Depois quero saber como foi.

    Namorada do Gitti, eu diria o mesmo no seu lugar ;)

    Bjos e bom ritual!

  • Acaz Souza

    Hahahaha, caralho, ri muito dos comentários desse post.
    Gustavo:

    “- Ir direto com a boca, sem rodeios, sem ficar beijando barriga, sem ficar provocando lentamente, é SENSACIONAL. Ficar ali como se não fosse fazer mais nada é melhor ainda. Sério, assim, 10 minutos, 20, 30, 40… manja? Até você quase estourar a mandíbula. O cara tem de aguentar, mas enfim, isso é com a gente.”

    Putz, do jeito que eu gosto. hahaha, eu adoro mulheres sapecas, pra frente, safadinhas.

  • Vanilda

    Gustavo,

    vc tem que assistir(se ainda não assistiu) e comentar aqui urgentemente o filme 500 dias com ela , vc ja viu!(interrogação sumiu…rs)…riquíssimo nos dialogos, imperdível,por favor, nos dê esse prazer…. :)

    Abraço.
    Vanilda.

  • Jazz @brabul

    Sim, a REAL tem que ser mandada, mas não na bucha, com sutileza e um toque de mistério.

    Adoro esse filme.

  • isa

    Fala aê, Gitti
    Vi o filme no sábado. O cinema estava lotado. O público gostou bastante do filme. Haviam gargalhadas em todas as piadas.
    Acho tudo o que você escreveu sobre o filme válido. Exceto a sua opinião sobre cabelo grande e conversa sobre problemas, nunca ouvidas por homens. É tudo relativo: tem cara que gosta, e cara que não gosta. Impossível generalizar.
    Concordo que a grande cantada seja mandar a real. É importante também não só não mentir como não ocultar as coisas. Não dá pra deixar de falar com receio da reação do outro. A felicidade própria também está em jogo. Outra coisa: quantas vezes deixamos de falar coisas lindas por medo de sermos vistos como precipitados. E depois correr o risco de lamentar: lá se vai o amor da minha vida.

  • Gustavo Gitti (autor)

    Escrevi sobre mandar a real 2 vezes esse mês (aqui também: http://papodehomem.com.br/vovo-das-havaianas-age-como-um-homem-de-respeito/).

    E agora vejo essa confissão exemplar do David Letterman (assistam até o fim): http://migre.me/8blP

  • Carol

    Li muitas críticas sobre o filme, mas fui conferir, por curiosidade.

    Achei o filme interessante, com a pitada de humor na medida .. perfeito p.assistir com amigos, amigas, namorados, ficantes, peguetes .. diversão na certa ..

    E me desculpe os homens de plantão: verdade seja dita o Gerard Butler é uma tentação !!!!

    A cena em que eles dançam, chega dá até calor na galera que tá assistindo,rs.

  • Caroline Moraes

    Tinha visto na semana passada esse tópico, por não ter visto o filme, decidi que não iria ler o post.
    Fui convidada p.uma seção de cinema por uma pessoa especial e acabamos decidindo juntos(eu juro!rs)a assistir ” A verdade nua e crua”. Nem preciso dizer que estava curiosissima, principalmente, pelo post daqui do blog.

    Posso dizer que o filme é divertido na medida certa, que todos nós(homens e mulheres) em algum momento do filme se identificou com os personagens, e que simplesmente, que os homens de plantão me perdoem: O Gerard Butle está uma TENTAÇÃO !!!!! ô lá em casa !!!! rs

    A cena em que ele dança com ela é estonteante, dá um calor em quem assiste .. Bom demais , vc se imagina fazendo o mesmo …

  • Caroline

    Tinha visto na semana passada esse tópico, por não ter visto o filme, decidi que não iria ler o post.
    Fui convidada p.uma seção de cinema por uma pessoa especial e acabamos decidindo juntos(eu juro!rs)a assistir ” A verdade nua e crua”. Nem preciso dizer que estava curiosissima, principalmente, pelo post daqui do blog.

    Posso dizer que o filme é divertido na medida certa, que todos nós(homens e mulheres) em algum momento do filme se identificou com os personagens, e que simplesmente, que os homens de plantão me perdoem: O Gerard Butle está uma TENTAÇÃO !!!!! ô lá em casa !!!! rs

    A cena em que ele dança com ela é estonteante, dá um calor em quem assiste .. Bom demais , vc se imagina fazendo o mesmo …

  • WIZ

    Muitas “análises profundas” sobre o comportamento homem x mulher. Aqui trazendo o ideario do cinema em contraponto à praxis cotidiana.

    Esqueceu que, no cinema, está em jogo um elemento de extremo poder, qual seja a ESTÉTICA.

    Esqueceu que o cinema é uma pedra lapidada. Os problemas financeiros são minorados, as jornadas de trabalho parecem mais reduzidas que em nossa realidade, não se gasta tempo no transporte, os personages são belos, atraentes, sobra somente observar o interior dos mesmos, não é…

    E será que as mulheres desejam realmente um homem tão evoluido no trato?

    Será que têm capacidades próprias aptas a identificar um homem assim evoluido?

    Ou, na maioria das vezes, ainda se prendem ao “nivel social” da família deste homem, ao seu “posto” no trabalho, sua capacidade de comprar, status etc…

    E os homens, estão preocupados em testar/aplicar suas “evoluções masculinas”, sua sensibilidade sagaz, ou ainda procuram por pernas grossas, bundas bem torneadas, cabelos longos e um rosto simétrico?

    Amigo, diga para uma mulher BONITA (nos padrões) que está sem tempo, e verás a concorrência se aproximar de sua mulher, e também de vc…

    Para uma mulher não bela, enfrentando problemas, dizer que não tem tempo, pois está desenvolvendo um projeto importante, pode sim ser fonte inesgotável de pensamentos para inundar este blog.

    Só um insight, sem pretenções…

  • fabiana

    “não é fácil lidar com um homem que quer te foder inteira, que não aceita mediocridade, que vai querer ver você cada vez mais mulher, mais feliz, linda, solta, mais inteligente e ousada.

    Um homem que se diverte quando você surta, não acredita em suas decisões precipitadas e que ao mesmo tempo a estimula para direções positivas, oferecendo direcionamento e estabilidade para a relação. Um homem que não só ama você, mas faz a promessa de amar ainda mais as outras mulheres que você vai se tornar.”
    AI, AI, CADÊ ESSES CARAS? SÉRIO, TÔ AQUI, PRONTINHA PRA VER SE AGUENTO, RS…

  • Isabella

    Gostei do filme, claro que é bem exagerado em certos momentos, mas devemos perdoar.

    Sobre: “É por isso que eu gostaria de ver, na próxima comédia romântica, um casal invertido: o cara certinho diante de uma mulher ousada.”

    Já ouviu falar [provavelmente sim] de 500 days of Summer ou 500 dias com ela?
    é mais ou menos isso, tenta assistir. ok?

  • Isadora

    “O cinema será bem sucedido em sua doutrinação? Eu teria pena das mulheres: não é fácil lidar com um homem que quer te foder inteira, que não aceita mediocridade, que vai querer ver você cada vez mais mulher, mais feliz, linda, solta, mais inteligente e ousada.”

    Seria ótimo, se todos nós conseguíssemos sempre atingir as expectativas dos outros, principalmente daqueles que estão ao nosso lado. Ótimo pois ficamos felizes quando fazemos os outros felizes, quando satisfazemos o outro. Mas esquecemos que erramos, que os outros também erram. E esquecemos que não podemos condenar os outros pelos próprios erros… No final das contas esse comentário, foi mais uma constatação e uma auto-explicação, para as minhas próprias atitudes e o momento que estou vivendo. De qualquer forma, me impressiono cada vez mais com a sua visão sobre diversos assuntos e/ou atitudes. E sim eu teria pena dessa mulher tão dignamente perfeita.

    Adorei Gitti!
    Beijos.

  • Naíse

    Oi Gustavo
    Acabei de ver o filme. Adorei e concordo com você em vários pontos. mas uma coisa eu achei bem clara: nem o doutor é um insípido (ou asséptico, se preferir), nem o cafa é um ogro insensível. Creio que o que a fez preferir o “cafa” seja o simples fato de que ele amava a mulher que ela é, enquanto o outro, se apaixonou pela mulher que ela fingiu ser. No fundo é o que todos querem: ser amado APESAR de tudo.
    “Falar a verdade para uma mulher implica em reconhecer a inteligência dela em compreender qualquer coisa, a liberdade dela em reagir como quiser e sua transparência em se comunicar diretamente com você, sem roupagens, sem defesas. Ao mandar a real, confiamos no outro e elevamos a relação.” Isso poderia virar um mantra rsrs.Rapazes, confiem mais em suas garotas, vocês vão se surpreender.
    Bom, não sou tão boa com palavras como vc, mas é isso aí. Sabemos que “homenzinhos” podem ser muito piores do que a “casca” do Mike, nós temos um radar, ele avisa. O que acontece às vezes é que nós o ignoramos.
    beijos a todos.

  • Luanda

    Oi, Gustavo.
    Na busca por inspiração para registrar algumas impressões sobre horizontalidade das relações, mutabilidade dos símbolos e escolhas, deparei-me, através de um click, com as melhores cantadas do cinema 3. Curiosa que sou, resolvi dar uma espiadinha.
    Num primeiro momento, pensei: quem essa mulher que rasga as saias aos quatro ventos, que me penetra com a virilidade de um homem, capaz de “partenogenisar” cromossomos?rsrsr
    Deixando o neologismo de lado. rsrsr
    Olha que os símbolos fazem e a interpretação deles também.
    Com os meus olhos fascinados pelas suas palavras segui discorrendo-as, como quem precisa saber a moral da história.
    A maneira como você registra seus pensamentos é um convite a provocação, aos afetos, a compartilhar, habitar as fronteiras e a se desfazer de certas convenções.
    Assim como na dança contemporânea, me senti dançando num cenário marcado por movimentos entre poiesis e práxis.
    Como diria Guimarães Rosa “vivendo, se aprende; mas o que se aprende, mais, é só a fazer outras maiores perguntas”.
    Obrigada pelo brainstorm, pela massagem no cérebro e conseqüente orgasmo “intelectual”, provocados por ex – baterista, ex- filósofo, ex- solteiro, enfim.rsrsr
    Palavras e divagações á parte.
    Sawabona, meu caro.

  • Luanda

    Oi, Gustavo.
    Na busca por inspiração para registrar algumas impressões sobre horizontalidade das relações, mutabilidade dos símbolos e escolhas, deparei-me, através de um click, com as melhores cantadas do cinema 3. Curiosa que sou, resolvi dar uma espiadinha.
    Num primeiro momento, pensei: quem essa mulher que rasga as saias aos quatro ventos, que me penetra com a virilidade de um homem, capaz de “partenogenisar” cromossomos? Deixando o neologismo de lado. rsrsr
    Olha que os símbolos fazem e a interpretação deles também.
    Com os meus olhos fascinados pelas suas palavras segui lendo, como quem precisa saber a moral da história.
    A maneira como você registra seus pensamentos é um convite a provocação, aos afetos, a compartilhar, a habitar as fronteiras e se desfazer de certos convencionalismos ainda que por um momento.
    Assim como na dança contemporânea, me senti dançando num cenário marcado por movimentos entre poiesis e práxis.
    Como diria Guimarães Rosa Vivendo, se aprende; mas o que se aprende, mais, é só a fazer outras maiores perguntas.
    Obrigada pelo brainstorm, pela massagem no cérebro e conseqüente orgasmo “intelectual”, provocados por ex – baterista, ex- filosofo, ex- solteiro, enfim.rsrsr
    Palavras e divagações á parte.
    Sawabona, meu caro.

  • Johnny

    Assisti o filme muito bom mesmo e valeu a parte de ser direto. E, cara, sou seu fã. Vc é quase um chuck norris… Se falar que ja fez artes marciais acredito que vc ja foi treinado por ele ahuahauahuah. Flw f.c.D

  • Karina

    Aê, pessoas.
    Seguinte: o filme é muito bom, tá certo. O casal principal é meio estereotipado, mas, tudo bem, pelo menos é bem divertido e, no im das contas, podemos aproveitar algumas dicas interessantes daquele Mike. Sem falar na ATITUDE dele, confiante, mas sensível, etc… Bom, a (ótima)aparência ajuda bastante também.
    Agora, esse lance de “mandar a real”, sei lá… Parece um pouco cruel. Me faz lembrar o “Super Sincero”, personagem da TV.
    Veja, há uma diferença ENORME entre ser “Super Sincero” e ser confiante. Claro que mulher gosta de homem confiante, principalmente se a confiança subentender “um homem que quer te foder inteira”… Um homem que chega junto da mulher com essa certeza, já garantiu metade da conquista. E se vier acompanhada de um sorriso como o do Gitti, garantiu os outros 50%.
    Naturalmente que não vejo problema para a garota que “recebeu a real” de “pedir o telefone” e quase dizer, a noite toda, que está pensando:’Ela vai ser minha namorada”.
    O problema foi a coitada que “recebeu a real” de “não tenho tempo pra você”. Repito: acho meio cruel.
    Não tenho a pretensão de saber qual a melhor atitude, mas, “estou sem tempo prá você” é bem triste, você não acha, não?

  • Diego

    Bom esse comentário faz uma analogia ao comportamento medíocre de um casal tipíco de nossa sociedade utópica, onde o homem se demonstra como um ser arrogante, prepotente e a mulher uma idealista, casta e concisa. Onde em nossa sociedade contemporânea encontramos diversos tipos de personalidades tanto femininas quanto masculinas.

  • Maria

    “…se há direcionamento, precisão e profundidade, ela sente um toque firme que a preenche e conduz.”

    Há verdade nessa afirmação, pode apostar!

    “Falar a verdade para uma mulher implica em reconhecer a inteligência dela em compreender qualquer coisa, a liberdade dela em reagir como quiser e sua transparência em se comunicar diretamente com você, sem roupagens, sem defesas.”

    * ainda aposto nas defesas, estratégicamente é claro! Homem tem que saber o que tá fazendo, mesmo que não saiba tem que nos fazer pensar que sabe.

    Ah, sinceridade é tudo![pra mim...]

  • Marina

    “não é fácil lidar com um homem que quer te foder inteira, que não aceita mediocridade… ”

    1) Difícil é lidar com um que não queira. Ou faz as coisas por inteiro ou não faz, porque serviço pela metade é que não dá! *rs
    (e quem aceita mediocridade é gente medíocre, logo não vale a pena)

    2) Concordo, em partes, que a mulher aproveita mais. Sexo é feito de instintos, emoções, sensações (sensorialmente falando). Mulheres tem uma relação mais profunda, mais intensa com o lado instintivo/emocional, além de terem um corpo muito mais sensível, sensorial e sexualmente (2 palavras: orgasmos múltiplos! Sorry boys). Por outro lado um bom tanto disso é bobagem, porque os homens são “adestrados” para fugir do lado emocional, e instintos e sentimentos são indissociáveis. Eu acredito que os homens tem o mesmo potencial que as mulheres nesse aspecto, e os homens que conseguem fazer isso bem são, com todo o respeito, um tesão. Infelizmente, mesmo sem preconceitos sociais, homens ainda tem menos terminações nervosas, então nada de orgasmos múltiplos para vcs :P
    Mas cabe lembrar também que assim como os homens tem bloqueios com o lado emocional, existem muitas mulheres sexualmente reprimidas, cheias de complexos e bloqueios, que não se conhecem realmente e simplesmente desconhecem o significado da palavra desejo. Desejo não é afeição, não é bem querer, não é amor e principalmente desejo não é carência afetiva, porra! Tem mulheres que atribuem/dependem totalmente do homem para sentir algum prazer, como se o homem fosse o responsável por isso. A mulher que se conhece goza até com os próprios pensamentos. Mulher que não se conhece, não sabe o que é gozar.

    E sou obrigada a concordar que homens no geral (e eu disse no geral, não disse todos!) preferem sim mulheres cheias daquelas picuinhas femininas que eles vivem reclamando. Mulheres sem esses adereços são boa diversão, mas para manter um relacionamento a coisa complica, porque “não é fácil lidar com uma mulher que quer te comer por inteiro, que não aceita mediocridade… ” *rs

  • Jack Costa

    Arrasa, sempre!!

  • kethellyn

    o filme émuito bom mesmo principalmente na ´parte em que eles dançam é tão sedutora e calhiente
    e o amasso do elevador ah1 isso é que é homem tão belo e insegura ele é bonito e não sabe

  • sinthiane Limah

    eu amei o filme A verdade nua e crua, feitas por atores excelentes que incorporaram a verdadeira face dos relacionamentos, e serviu pra muita gente encarar a verdade da vida sem vergonha! amo Gerard Butler em todos os seus papeis ele é brilhante mente perfeito. e mal espero para assistir esse novo filme ai: O cara certinho diante de uma mulher ousada!
    bjão pessoal!
    vivam a vida com verdade e sinceridade…

  • Letícia B

    Oie!!
    Adorei teu posto e gostei muito mesmo dos comentários tb!!
    Aquelas dicas pras 6 garotas, eu adorei e vou fazer também!! hahahaha
    Essa foi a primeira vez em que eu estou lendo seu blog, gostei muito.
    Um Mega Beijo..

  • Vitor Claus

    Salsa = Valsa com sal

  • Dávila Alexandre

    Ameei o filme , deu pra aprender mta coisa , é realmente a verdade nua e crua !