A comunidade invisível do Não2Não1

por Gustavo Gitti 27 February 2008 19 comentários

Waking LifeOuça enquanto lê: “Lies” (Glen Hansard)

Alguns blogs tem comunidades no Orkut, Facebook, Ning… Elas reúnem os leitores e facilitam o contato entre pessoas com interesses em comum. Eu poderia seguir a mesma trilha, só que eu não acredito em blogs, eu não acredito em nada disso aqui. Eu acredito em pessoas.

A criar uma rede digital e depois verificar a quantidade exata de pessoas cadastradas, eu prefiro tatear no escuro e encontrar, um a um, aqueles que integram a comunidade Não2Não1. A vasculhar perfis detalhados, eu prefiro conhecer as complicadas histórias de cada um que, como eu, deseja explorar o caleidoscópio amoroso.

Comunidade feita de gente cansada de relações clichês viciadas. Gente que desistiu de saber a última técnica implacável de sedução ou as 69 dicas para apimentar o casamento. Gente que, em vez de ficar reclamando num canto, pega na mão um do outro e arrisca algo inédito. Arte que não se compra em revista, dança sem coreografia, conversa sem script. Gente fusion, free jazz.

E não é que tenho encontrado alguns desses membros invisíveis?

  • Tem uma leitora gaúcha que esbarrou comigo no Gtalk e pediu para eu apresentar alguém de Porto Alegre que está na Cabana do Dr. Love. Diz ela: “porque quem lê teus posts está sabendo tratar uma mulher, e acredito que eu não seja a única a querer conhecer um dos teus ‘soldados’ “. É, o pessoal me leva muito a sério… Será que ela não sabe que sou um moleque de 25 anos que mal sabe o que é viver?
  • Tem o Wagner Fontoura, que certa vez me confessou algo assim: “Seus textos são curiosos, Gustavo. Alguns eu faço questão de mostrar para minha parceira, outros eu rezo para que ela nunca os leia!”.
  • Uma amiga artista hoje me envia um email sobre os comentários do Não2Não1. Disse que muitas mulheres aqui ficam no senso comum e que se interessa por alguns comentários masculinos. “Você conhece esses caras, Gustavo? Preciso encontrá-los”. Eu ri. Estou pensando em abrir uma comunidade com o seguinte título: “Homens solteiros que lêem o Não2Não1“. O mote seria: “Sim, nós somos sensíveis, e não, nós não somos veados”. ;-)
  • Tem outro amigo redator publicitário que passou o domingo meditando no CEBB SP. Entre uma prática e outra, ele contou que seu namoro havia terminado há 2 dias. O cara tem tudo para ser um cafajeste de primeira (rico, alto, bonito e inteligente), não fosse sua motivação: “Poxa, eu só quero uma mulher que cresça junto comigo”. Em uma discussão com o grupo de meditação, ele desabafou: “Se não cultivarmos presença e liberdade, não teremos chance alguma. Vamos ser jogados de um lado para outro, como marionetes, até o fim da vida”. Eu só fui concordando com a cabeça…
  • Uma amiga dançarina (bolsista também) treinou tango hoje com olhos que se debateram contra o fim do namoro. O abandono tem um só gosto, não importa quem o esteja provando. Ela quer algo que transcenda a paixão: “Sexo é fácil. Paixão vem e vai. O que sobra? Quem também quer aprofundar uma relação e não só ficar pulando de paixão em paixão?”.
  • Tem também o menino homem de 15 anos que me enviou um longo email semana passada, cuja resposta publico abertamente em breve. E a minha vizinha violinista, tema para um post só dela.

Comunidade que nunca vai se encontrar consigo mesmo. Não precisa. Será um com outro, jeito tribalista de jogar um a um. Serão alguns poucos holy moments, daqueles que valem a vida.

P.S. 1: Para tatear ainda mais a comunidade invisível ao redor desse blog, instalei o Google Talk Badge aí do lado, acima da minha foto. Quando eu estiver on-line, qualquer um pode falar comigo instantaneamente, sem instalar nada, sem sequer precisar ter uma conta ou se logar no Google.

P.S. 2: Além da Marion Cottilard, a melhor coisa do Oscar foi a apresentação do Glen Hansard com sua (linda) mulher e o merecido prêmio de melhor canção. “Falling Slowly” é uma música com composição infantil, mas tem algo ali que não me deixa ir embora. ONCE é Before Sunrise / Before Sunset com música ao vivo. Vale cada minuto!

P.S. 3: A imagem é de uma cena do filme Waking Life. Se não ainda não assistiu, faça-me um favor. Falando em comunidade, há um tempo eu criei uma no Orkut para reunir relatos de holy moments. Se já assistiu ao filme, seja bem-vindo.

Blog Widget by LinkWithin

Para transformar nossas relações

Há algum tempo parei de escrever no Não2Não1 e comecei a agir de modo mais coletivo, visando transformações mais efetivas e mais a longo prazo. Para aprofundar nosso desenvolvimento em qualquer âmbito da vida (corpo, mente, relacionamentos, trabalho...), abrimos um espaço que oferece artigos de visão, práticas e treinamentos sugeridos, encontros presenciais e um fórum online com conversas diárias. Você está convidado.



Receba o próximo texto

19 comentários »

  • Lunna

    Seu blog cria um espaço para falarmos/ouvirmos sobre a “vida como ela é”, sem sacanagens ou pieguises (ou com tudo isso), mas, especialmente sem medo de parecermos deslocados e ridiculos.
    Parabens e obrigada amigo !

  • Thiago

    Eu já havia pensado em uma comunidade pro blog mas caí no mesmo paradigma que você.. Não acredito nessas coisas. Aqui, uma a uma, as pessoas mostram-se verdadeiras, contam seus problemas..

    É melhor conhecer as pessoas uma a uma do que ter 2mil numa comunidade e não conhecer verdadeiramente ninguém.

    :]

  • Passini

    “Ninguém morre, as pessoas apenas acordam do sonho da vida”

    – Raul Seixas

    Junte isso e “Waking Life” e você terá coisas para pensar até o dia de acordar…rs.

  • Kaka

    Pelo menos aqui em não me sinto brega! Hahaha! Você escreve como eu quero ler às vezes!

  • Otto

    Capitão Gitti: Soldado Otto se apresentando, direto de Porto Alegre! =D

    Waking Life é fantástico. Comentei sobre ele no Come On In My Kitchen um tempo atrás. Contarei alguns Holy Moments na comunidade, com certeza.

    Concordo com o comment da Lunna, por isso não fico um dia sem dar uma passada por aqui pra ler.

    Um abraço e continue assim

  • Gustavo Gitti (autor)

    Otto, to lendo seu blog.

    Sim, Waking Life, foda. Vi logo que lançou, 2001, em um screener tosco que baixei. Desde então falo desse filme sempre.

    Abração!

  • srta. rosa

    COMO ASSIM VINTE E CINCO ANOS? E eu achando que tava no caminho certo olhando os de quarenta. Hunf. Depois espia no Srta.
    Affe. O mundo tá perdido, fíos.

  • fabiana

    Gustavo, seu blog, o Templo Budista, meu irmão e alguns amigos, me salvaram da pior dor de cotovelo que já passei.
    Nâo me interessa ser parte de comunidade de nada, não tenho página no orkut, acho que o olho no olho e umas boas linhas escritas são imbatíveis contra a solidão…deixa as coisas do jeito que estão por aqui…uma hora, tudo muda mesmo!
    beijo

  • Fellipe

    Quando você me mandou o e-mail da resposta falando que era 10 anos mais velho que eu, não acreditei. Caramba… Pra mim você tinha uns 30 anos ou mais.
    Aos poucos a comunidade do Não2Não1, que lê o blog sempre que vê o e-mail na caixa de entrada do feed, vai se revelando, seja pelos comentários, por e-mails, pessoalmente…
    Quando eu tiver meus 18 anos, ou seja, daqui a uns 3 anos, talvez eu te encontre no Campus Party. Aí eu posso dar um “oi” pessoalmente

    Acreditar em pessoas. É isso

    Abraços

  • Nati

    eu gosto de ser desta comunidade invisível. Que vem aqui, participa, cada um a seu tempo. DO seu jeito. Sem cobranças nem expectativas. Livres mesmo!!

  • Lilian Fernandes

    Opa! Olha eu aqui. Também faço parte dessa turma. E preciso sempre lembrar que vale a pena acreditar nas pessoas. Dou minhas cabeçadas e muitas vezes eu perco esse pensamento, até em relação à minha própria pessoa.

  • Juliana

    Ahh… que gracinha!

    Adoro o jeito que você trata as pessoas.

    Passo sempre por aqui pois é uma leitura que me faz bem, que me acrescenta algo que nem eu sei o que é.

    Fico impressionada ao ver alguém com apenas 2 anos a mais do que eu falando, ou melhor, escrevendo sobre certas coisas tão profundas com uma clareza enorme.

    Beijão

  • Adriana

    Juliana, concordo com vc.
    O modo como ele trata as pessoas é justamente o xis da questão. É isso que faz com que todos os que vêm aqui se sintam em casa e tenham vontade de voltar. A prova é que ele doa x e recebe 1000x de volta em elogios, depoimentos, questionamentos construtivos e contribuições inúmeras. Um blog-oásis alimentado pelo desejo de auto-conhecimento, crescimento e relacionamentos prósperos dificilmente resultaria em alguma coisa diferente disso: troca. Quem está acompanhado experimenta o estreitamento dos laços com o parceiro; quem está só fica com vontade de conhecer alguém legal e “crescer junto”, como disse o redator publicitário.

  • Nícia

    Pô Gustavo! Nem sei se pertenço a essa comunidade invisível. O fato é que passo por aqui diariamente. E não só leio os posts como sou transformada por eles.
    Ah! e vi os comentários sobre a sua idade e fiquei pensando no que a idade efetivamente determina nas nossas visões de mundo. Talvez pq alguns achem que o tempo nos traz maturidade. Não sei não viu. Tenho 36 e a menor idéia do que isso significa. Vejo muiiiiitas pessoas da minha idade que “escolheram” pensar o mundo de outra forma, que, se quisermos rotular, chamaríamos de imatura. Vc, aos 25, nos chama a reflexões fantásticas sobre como nos relacionamos com nossos desejos, com o mundo, com os outros. Por isso estou sempre por aqui.
    Bjs

  • Urban

    Oi Gustavo!
    Espero que vc saiba que tb sou sua fã. Sou impressionada com sua maturidade, um cara tão jovem, mas um espírito sábio.

    Olha, eu vou te dizer uma coisa, se conhecer algum homem maduro, legal, ai nas suas andanças, que viva aqui pelas bandas que eu moro, me fale, rssss. Vc é um cara que lida com homens preocupados em crescer nas relações e na vida … quem sabe, não sobra um prá mim, rs.

    Vamos ver se me sobre um tempo prá te encontrar livre no Gtalk (as vezes te vejo com bolinha vermelha, daí não ouso interromper)

    bjs
    ;-)

  • Fernando

    Bem,

    A unica coisa que eu poderia falar é que me acho agraciado por Deus por fazer parte desta comunidade.
    Cara, você não imagina o quanto cresci lendo seu blog… (minha ex que o diga) e na boa… desejo que a vida te recompense pelos presentes que tem dado a tantos.

    Como tenho pouco a oferecer… deixo só meus aplausos e agradecimentos.

    abraços

  • Gisele H.

    Eu passo por aqui de vez em quando e adoro suas referências cinematográficas. Waking Life e Before the Sunrise estão nos meus top top e quando ouvi falar em ONCE (que ainda não vi) olha só: lembrei de você!

    Acho que o único problema destes filmes é que eles distorcem um pouco a minha realidade: teimo em quere r viver um amor cinematográfico e acabo sempre frustrada…

  • Cássia

    Quando encontro um novo blogue, eu gosto de passear por ele com calma, tempo e rever sempre o que passou… Lendo esse post mais “antigo”, meus olhos se encheram de lágrimas ao ler “Poxa, eu só quero uma mulher que cresça junto comigo”. No fim das contas, a grande graça é justamente essa, crescer junto, e é bacana perceber que há tantas pessoas querendo a mesma coisa. Crescerem juntas e com amor.

    Beijos.

  • Kris

    Esse blog vicia, rss. Passsei dica para minha irmã, que adorou e passou adiante…

    Sou de Manaus e acabei aqui graças ao PdH.
    É uma comunidade invisível feita por pessoas bem visíveis.

    Bjs e felicidades!